Arquivo para fevereiro, 2010

Porque Eu Odeio Religião – Mark Driscoll

Posted in I.D.TUBE, Identidade Interativa, Palavra do último culto on fevereiro 28, 2010 by identidadeblog

Neste último sábado (27/02/10) estivemos falando na nossa Rede Identidade sobre a falsa religião, seus enganos e porque devemos rejeita-la.

Abaixo segue o video do Pr. Mark Driscoll que foi utilizado pelo Pr. Thiago Santana como ilustração durante a mensagem.

Aqueles que estiveram presentes deixem suas impressões nos coments…

Pastores presos nas ferragens de acidente louvam à Deus com hinos e levam os bombeiros às làgrimas.

Posted in Notícias on fevereiro 27, 2010 by identidadeblog

 

Dois pastores evangélicos e um motociclista morreram num acidente envolvendo sete veículos, na manhã de ontem, na Rodovia do Contorno, trecho da BR 101 que liga Serra a Cariacica.

Os religiosos pertenciam à Igreja Assembleia de Deus e haviam saído de Alegre, município da Região Sul do Estado, rumo a uma convenção estadual da igreja em Nova Carapina II, na Serra.

Os veículos – cinco caminhões, uma moto e um automóvel Del Rey – bateram um atrás do outro. O engavetamento aconteceu às 8h15, no quilômetro 277, na Serra. Os pastores estavam no carro.

Tudo começou quando um caminhão freou por causa do intenso fluxo de carros no sentido Cariacica – Serra. Os veículos que vinham atrás dele frearam também, mas o último caminhão – de uma empresa de cerveja – não conseguiu parar a tempo. Com isso, os veículos que estavam à frente foram imprensados uns contra os outros.

Os pastores José Valadão de Souza e Nelson Palmeira dos Santos e o motociclista Jonas Pereira da Silva, 52 anos, morreram no local. Dois outros pastores, que também estavam no Del Rey, sobreviveram, e o motorista de um dos caminhões sofreu arranhões nas pernas. Nenhum dos outros caminhoneiros ficou ferido.

O proprietário e condutor do Del Rey é o pastor Dimas Cypriano, 61 anos, do município de Alegre. Ele saiu ileso do acidente e teve ajuda do motorista José Carlos Roberto, carona de um dos caminhões, para sair do veículo.

Seu amigo de infância, o pastor Benedito Bispo, 72, ficou preso às ferragens. Socorristas do Serviço Médico de Atendimento de Urgência (Samu) e bombeiros fizeram o resgate dele. O pastor teve politraumatismo e foi levado para o Hospital Dório Silva, na Serra.

A mulher de Benedito chegou a ver o marido sendo socorrido e teve que ser amparada por um familiar. Ela também seguia para a convenção num outro veículo. A rodovia ficou interditada durante vários momentos da manhã de ontem nos dois sentidos. O trecho só foi totalmente liberado no início da tarde.

O pastor Dimas Cypriano, que sobreviveu ileso ao acidente na manhã de ontem, no Contorno, contou que usava cinto de segurança e que ficou preso ao tentar sair. Ele dirigia o Del Rey e disse que precisou de ajuda para sair do carro. Mas depois continuou no local, acompanhando os trabalhos de resgate do colega, Benedito Bispo. Nas mãos, levava uma Bíblia que ficou suja de sangue. Mas isso não impediu que o pastor orasse durante o socorro.

O mais comovente do triste episódio, foi o relato dado por 2 pastores sobrevivente, e pelos bombeiros que tentavam tirar os pastores ainda com vida, que estavam presos nas ferragens.

As testemunha citadas acima, contam que os pastores Nelson Palmeiras e João Valadão, ainda com vida e presos nas ferragens, em meio a um mar de sangue que os envolvia, começaram a cantar o Hino 187 da harpa cristã:

Mais perto
Quero estar meu Deus de ti!
Ainda que seja a dor
Que me una a ti,
Sempre hei de suplicar
Mais perto
Quero estar meu Deus de ti! 

Andando triste
Aqui na solidão
Paz e descanso
A mim teus braços dão
Nas trevas vou sonhar
Mais perto
Quero estar meu Deus de ti!

Minh’alma cantará a ti Senhor!
E em Betel alçará padrão de
Amor,
Eu sempre hei de rogar
Mais perto
Quero estar meu Deus de ti!

E quando Cristo,
Enfim, me vier chamar,
Nos céus, com serafins irei
Morar
Então me alegrarei
Perto de ti, meu Rei, meu Rei,
Meu Deus de ti!

Aos poucos suas vozes foram silenciando-se para sempre. 

As lagrimas tomaram conta dos bombeiros, acostumados a resgatar pessoas em acidentes graves, porem jamais viram alguem morrer cantando um hino; como foi o caso dos pastores Nelson Palmeiras e João Valadão .

Notícia disponível no O Galileo

God’s chisel (legendado)

Posted in I.D.TUBE on fevereiro 26, 2010 by identidadeblog
Lindo video, vale a pena até o fim!!!
Estamos sempre fazendo preces. E se Deus respondesse a uma delas “pessoalmente”?
Esse é um vídeo dos “The Skit Guys”, dois amigos que fazem esquetes com mensagens religiosas.
Para conhecer mais, entre no site: www.skitguys.com.
Extraído do http://juliana-ayres.blogspot.com/

Denzel Washington – Mantendo a fé

Posted in Curiosidades, Personalidades, Testemunho on fevereiro 25, 2010 by identidadeblog

Denzel Washington é muito mais do que apenas um superstar, ganhador de Oscar. Ele é um cristão que leva a sério o seu papel … mesmo que isto signifique um pouco de sangue, como em seu novo filme: Book of Eli. Denzel Washington é um dos mais bem sucedidos e respeitados atores de Hollywood. Mas o vencedor de duas estatuetas do Oscar (em 1989 e 2001 de Glória de Dia de Treinamento) é também um dos mais atuantes cristãos de Hollywood.

Filho de um pastor pentecostal de Mount Vernon, Nova York, Denzel, aos 55 anos, há mais de 30, tem participado ativamente da igreja West Angeles Church of God in Christ, lê sua Bíblia todas as manhãs, e sempre escolhe papéis em que pode “passar” uma mensagem positiva ou o reflexo de sua profunda fé pessoal. A fé está em todo lugar no novo filme pós-apocaliptico de Denzel: The Book of Eli, que estreou sexta-feira e está sendo promovido com outdoors com os trocadilhos “B-ELI-EVE” (Acredite) e “D-ELI-VER US.” (Salve-nos). No filme, Denzel assume o papel de um viajante misterioso que tem um facão como arma, chamado Eli, dirigido por Deus para proteger a última cópia da Bíblia existente na Terra – isso mesmo, a Bíblia – e levá-la para o ocidente, para protegê-la de bandidos que procuram usá-la como uma “arma” de controle.

O personagem de Denzel no filme utiliza a violência intensamente – esquartejando os bandidos em cada esquina -, mas que começa a se sensibilizar quando conhece uma garota inocente (Mila Kunis), que o lembra que podemos ficar tão presos em proteger a Palavra de Deus que, por vezes esquecemos-nos de vivenciá-la. Para Denzel, “vivenciá-la” é essencialmente caracterizado pelo amor e sacrifício. A mensagem final de Eli, diz ele, é “faça mais pelos outros do que você faria para si mesmo”. Esta uma mensagem que Denzel sempre ouviu desde criança. “Oramos a respeito de tudo, todos os dias”, disse Denzel a membros da mídia religiosa na semana passada, em Los Angeles. “E sempre terminamos com ‘Amém. Deus é amor’. Eu imaginava que ‘Deus é amor’ era apenas uma expressão. Levei muito tempo para aprender o que realmente significava. Eu não me importo com o livro que você lê ou no que você acredita, se você não tiver amor, se você não amar o seu próximo, então você não tem nada”. Embora Denzel não seja um grande fã da palavra “religião”, e se abstenha de qualquer posicionamento do tipo “Eu estou certo, você está errado”, ele não se envergonha de falar, sem rodeios, sobre sua fé cristã. “Eu creio que Jesus é o Filho de Deus”, diz ele. “Eu fui batizado no Espírito Santo. Eu sei que isso é real. Eu estava numa sala. Meu rosto ‘explodiu’, chorei como um bebê, e aquilo quase me ‘matou de susto’. Um tipo de medo que chacoalhou minha vida. Vou ser honesto com você, levantei-me e segui na direção oposta daquela que deveria. Eu não sabia o que estava acontecendo. Foi muito forte. Levei muitos anos para dar meia-volta”.

Recentemente, sentado em sua casa lendo a Bíblia (esta é a terceira vez que ele está lendo-a do início ao fim), Denzel se deparou com uma passagem sobre a sabedoria e entendimento em Provérbios 4, que o fez refletir sobre sua vida. “Estou nesta enorme casa cheia de todas essas coisas”, observou. “Eu ouvi a Bíblia me dizendo: ‘Você nunca vê um caminhão de mudanças atrás de um carro funerário. Você não pode levar todas essas coisas consigo. Os egípcios tentaram, mas foram roubados. Eu disse: ‘O que você quer, Denzel?’ E uma das palavras da devocional daquele dia era sabedoria. Então comecei a orar ‘Deus, me dê uma porção daquilo’. Eu já consegui todo o sucesso possível na minha carreira. Mas eu posso ficar melhor. Eu posso aprender a amar mais. Eu posso aprender a ser mais compreensivo. Eu posso ganhar mais sabedoria”. Assim como seu personagem em The Book of Eli, Denzel acredita na vocação profética e, por isso, tenta aproveitar ao máximo do trabalho que ele acredita ter sido lhe dado pelo próprio Deus: no seu caso, a fama mundial e uma das carreiras cinematográficas mais profícuas de sua geração. Denzel se lembra de uma história de quando ele tinha 20 anos, que demonstra como ele relaciona intimamente a sua fé com sua carreira. Era 27 de março de 1975 e Denzel – que acabara de ser expulso da escola – estava sentado no salão de beleza de sua mãe. Uma senhora que, enquanto secava os cabelos e olhava fixamente para ele, de repente, pediu-lhe um pedaço de papel e, de forma trêmula, escreveu a palavra “profecia”. Aquela mulher era Ruth Green, uma das mais antigas mulheres da igreja mais antiga da cidade, conhecida por ter um dom da profecia. Naquele dia, ela disse a Denzel: “Rapaz, você irá viajar pelo mundo e falar para milhões de pessoas.” Naquele verão, Washington era um equipante em um acampamento da YMCA (Associação Cristã de Moços) em Connecticut. Os equipantes faziam esquetes para os acampantes, e alguém sugeriu a Denzel que ele tinha um talento natural para aquilo e deveria prosseguir atuando. Naquele outono, Denzel voltou a estudar no campus da Universidade Fordham, de Lincoln Center, onde iniciou sua formação em teatro. “Anos mais tarde”, lembra-se Denzel”, perguntei ao meu pastor, se ele achava que eu tinha um chamado para ser pregador, e ele disse: ‘Bem, você não está falando para milhões de pessoas? Você não viajou o mundo?”

Reconhecendo que ele havia sido colocado em uma posição privilegiada, Denzel se sentiu obrigado a usar aquilo da melhor forma possível, “pregando” mensagens positivas sempre que estivesse atuando. “Eu tentei direcionar meus papéis”, diz ele, “mesmo nos piores papéis como em Dia de Treinamento. A primeira coisa que eu escrevi no meu script (de Dia de Treinamento) foi ‘o salário do pecado é a morte’. No roteiro original, você descobria que meu personagem havia morrido pela televisão. E eu disse, ‘Não, não. Para que eu pudesse justificar que ele havia vivido da pior maneira possível, ele teria de morrer da pior maneira, também. Eu fui arrancado do carro pelo Ethan [Hawke], rastejei como uma cobra… O bairro inteiro virou suas costas para mim e então eu fui feito em pedaços”. Foi mais fácil “direcionar” o personagem de Eli em uma direção positiva, “quer dizer, quase fácil”, brinca Denzel, porque “esse cara é mais violento que o personagem de Dia de Treinamento. Ele é mais violento do que Malcolm X”. No entanto, da mesma forma que o personagem de Denzel em Chamas da Vingança, a violência de Eli é usada como forma de proteger os inocentes. “Quando eu fiz Dia de Treinamento”, diz ele, “havia um policial que disse que a Bíblia afirmava existirem aqueles cujo encargo é proteger os inocentes, e que para isso lhe é dado o direito de ser violento. Aquele policial disse: ‘Baseado nisso é que eu e meu parceiro vivemos. Isso é o que fazemos’. Talvez ele precisasse daquele versículo para justificar o que estava fazendo”.

Embora ele tenha encenado personagens violentos em filmes como Dia de Treinamento, American Gangster e, agora, Eli, Denzel é, na vida real, um homem de família calmo e gentil. Casado com Pauletta por mais de 26 anos e pai de quatro filhos, John David, Katia e os gêmeos Malcom e Olivia-Washington, Denzel está longe do estereótipo do ator de Hollywood. Além de seu envolvimento com a igreja (ele doou US$ 2,5 milhões em 1995 para o West Angeles COGIC para construírem uma nova instalação), Denzel – que sempre inclui em seus autógrafos um “Deus te abençoe” – é um colaborador, há muito tempo, do Boys & Girls Clubs of America (que ele participou quando criança), entre outras caridades. Denzel, que está indo para à Broadway, nesta primavera, para aparecer junto com Viola Davis na peça Fences, de August Wilson, sabe que ele tem sido abençoado com muito, mas rapidamente minimiza sua fama e sucesso dizendo que são apenas um presente de Deus. “Não é sobre mim”, disse Denzel em uma entrevista de 2007 na revista Reader’s Digest. “Recebi certas habilidades, e olho para elas da seguinte forma: o que vou fazer com o que tenho? Quem é que vai ser engrandecido com isso?” Perto do final de Eli, o personagem de Denzel cita a famosa passagem de 2 Timóteo 4:7: “Combati o bom combate … guardei a fé”. É uma linha condizente com o próprio Denzel. Ele é um superstar de Hollywood que, embora não seja perfeito, oferece um raro exemplo de um cristão em um lugar de extrema aclamação e sucesso e que não deixou isso subir à sua cabeça, em vez disso continua fundamentando sua vida na Bíblia e na confiança em Deus. Em seus mais de 30 anos como ator, Denzel Washington tem lutado o bom combate e feito o que muitos não conseguiram. Ele manteve a fé.

Fonte: Christianity Today. Tradução livre de Whaner Endo

A Cabana

Posted in Alerta I.D., Artigos, I.D.TUBE on fevereiro 24, 2010 by identidadeblog

 

Estou postando este video esclarecedor do Pr. Mark Driscoll sobre o livro A Cabana.

Eu sei que vai ter um monte de mimimi porque tem uma galera que já leu e vive recomendando. Bem eu (thg) tenho várias testemunhas que sempre achei uma porcaria, na verdade, além deste livro ser muito fraco enquanto obra literária ( parece que o argumento do filme já foi feito pensando na idéia de ser transformado em roteiro pra cinema), também é de conteúdo herético.

Além da questão do Modalismo citado pelo Pr. Mark no video (saiba o que é isso aqui: http://pt.wikipedia.org/wiki/Modalismo ) na minha opinião o livro todo  insiste em relativizar questões espirituais que são absolutas, claro que quem não possui conhecimento para discernir as bobagens teológicas que o livro propõem em forma de conto ficcional, acaba se encantando com o texto água com açúcar, que usa e abusa de situações emocionais em decorrência dos traumas do personagem. Dessa forma mentiras de tão bem apresentadas se tornam verdade pela falta de senso crítico da galera.

O livro é bonito? Vai do gosto de cada um, mas com certeza é herético e ofensivo à fé cristã baseada na bíblia.

E já sei… vai começar  a polêmica nos coments… não estou nem aí… PRONTOFALEI! Rsrs…

Elton John diz que Jesus era um “gay superinteligente”

Posted in Uncategorized on fevereiro 23, 2010 by identidadeblog

da Folha Online
O cantor britânico Elton John, 62, deu uma entrevista a revista norte-americana “Parade” na qual declarou que Jesus era gay. A entrevista ganhou destaque no tabloide inglês “The Sun”.
“Acho que Jesus tinha muita compaixão, era um homem gay superinteligente, que entendeu os problemas da humanidade”, disse.
“Jesus queria que nós amássemos e perdoássemos. Não sei o que faz as pessoas serem tão cruéis. Tente ser uma lésbica no Oriente Médio –é melhor estar morto.”
Na mesma entrevista, ele comenta como conheceu o companheiro, David Furnish, 47. “Senti atração imediata por David. Ele estava muito bem vestido, era muito tímido. Na noite seguinte, nós jantamos. Depois disso, nos apaixonamos muito rápido.”

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u696080.shtml

Comentem, PAZ!

Adriana Nascimento – Atleta viajante e serva do Aba!

Posted in Artigos, Colaboração, Esporte, Perfil, Testemunho on fevereiro 23, 2010 by identidadeblog

Estamos inaugurando mais uma categoria no nosso identidadeblog. Esta nova categoria se chamará Perfil, e mostrará um pouco dos jovens que fazem parte da nossa Rede. Sempre teremos neste espaço, alguém que além de estar no nosso meio, desenvolva alguma atividade de relevância escrevendo de próprio punho, algo sobre sua própria vida, para assim nos conhecermos melhor.

Começamos então com a Adriana que além de ser uma jovem comprometida com Deus é também atleta da seleção Brasileira de Handebol Feminino, conheça um pouco da vida da Adriana.

*Este texto foi nos encaminhado pela Adriana no final de novembro, mas só foi publicado agora pois estávamos organizando esta nova categoria.

Oi Pessoal,
 
Sou Adriana jogadora de handebol.

Tive algumas passagens por alguns times da Europa (times da: Austria, Hungria, Espanha e Turquia) e atualmente atleta de Santo André.
 

Santista e pertencente a família Cristo é a Vida, já um tempinho… creio que quase a uns 20 anos. Glória a Deus por isso!

Esse mês tivemos o Campeonato Mundial na China (sou atleta da seleção brasileira também, detalhe depois de muitos cortes… foi uma experiência marcante, mesmo que os resultados não  tenham sido o que nós seleção e muitos que acompanham esperavam. O nosso grupo realmente era o mais difícil do campeonato (6 seleções, das seis 4 eram européias). Cada jogo era uma final e quem errasse menos iria sair com a vitória e classicação.
Algo segue conosco como grande incentivo para as próximas competiçoes. No nosso grupo estava a França, e ganhamos das francesas, mas foram elas mas “felizes” do que nós, pois mesmo com essa derrota chegaram na final e nós um discreto décimo quinto lugar. Ai fica a questão, se ganhamos das atuais vice campeãs do mundo , o porque não, se preparar e aguardar um futuro próximo para jogar também uma Final! O desafio está lançado.

Além de um grande aprendizado profissional, jogar me proporciona grandes viajens ( literalmente, ficamos um mês fora e a volta durou nada mais que 33 horas viajando), saimos do Brasil em novembro dia 17 e voltamos  semana passada dia 21 .O campeonato começou dia 05, só que antes tivemos algums torneios, na França (Paris) e na Coréia(Seul). Lembrando que sempre temos um tempinho para sair,  fazer algumas comprinhas( comprar um pouquinho não faz mal a ninguém) . E claro, o mais divertido e legal conhecer os lugares…nossa dessa vez fiquei impressionada, Paris é lindo. Gente se tiverem a oportunidade…irá valer muito a pena. Seul (Coréia) uma cidade muito organizada,e centralizada nos negócios,  a China todos nós sabemos o país mais populoso do mundo,coisas baratas os famosos “xinguilinges”, uma experiência marcante de conviver com esse povo. Ah e a comida?????…. eu  não vi nada de cachorro, escorpião ou qualquer coisas dessas… me alimentei bem, a cozinha chinesa está de parabéns! É… tirando o pé de galinha cozido que vende nas ruas como petisco, mas tudo bem!


É isso pessoal, já to falando demais,o que deixo é:
Servir ao Senhor é algo sem explicação. Seu AMOR e irreconhecível ao nossos olhos e entendimento.
ELE sempre está nos presenteando,muito além de qualquer esforço,pois muita vezes achamos que nos esforçamos mas nada teríamos se não fosse pela infinita e grandiosa bondade do PAI!!!!
 
Abraço,
fiquem na Paz!
Adriana